Canonical quer comprar briga com a Microsoft

Hoje, dia 18 de Outubro, é lançada a nova versão do Ubuntu, 12.10, nomeada de Quantal Quetzal. Quem for visitar seu website em www.ubuntu.com vai dar de cara com o grande texto grifado na primeira página: "Avoid the pain of Windows 8. The all-new Ubuntu 12.10 is out now."


Esta nova versão, não sendo uma versão LTS - ou Long-term Support - deverá possuir as mais novas tecnologias disponíveis na comunidade de software livre - sacrificando um pouco de estabilidade - e principalmente, muitas melhorias na interface gráfica desenvolvida pela Canonical, o Unity. Eu mesmo ainda não tive a oportunidade de testar esta nova versão, mas existe uma lista de melhorias em http://www.ubuntu.com/ubuntu/whats-new (em inglês).

Mas por que esta briga com o Windows 8?

Bom, para quem ainda não teve a oportunidade ou curiosidade de testar a nova versão do Windows para computadores, devo primeiramente falar sobre o Windows 8 para smartphones, disponível em celulares como o Nokia Lumia. Esta nova versão adota um paradigma totalmente novo na área de dispositivos móveis, e na verdade, não está nada mau.



Em sua tela principal, existem vários "quadradinhos", que são atalhos para Apps, mas eles também eventualmente viram e são exibidas informações sobre tempo, Facebook, horário, trânsito e qualquer outra coisa que o usuário desejar, dependendo do quadrado. Isto permite uma visualização muito rápida, fácil e organizada das informações, muitas vezes sem nem mesmo precisar abrir a App para visualizar o que se deseja.

Bom, onde isso começa a ficar ruim? A Microsoft quis aproveitar todo este seu esforço para trazer esta interface gráfica para os desktops. Imagine o que aconteceu, seu computador virou uma tela de telefone gigantesca!



Isso mudou drasticamente a forma como os computadores são usados, muito mais que a mudança que o KDE4, Gnome-shell ou Unity trouxeram, e convenhamos, para usuários comuns do Windows, isto não é uma boa notícia.

Porém, não é só em questão de interface gráfica, o bom e velho desktop do Windows ainda está presente no Windows 8, porém, acontece algo muito engraçado. Não há uma comunicação entre os aplicativos abertos no modo desktop ou no novo modo, da tela de quadrados. Ou seja, se eu tenho o Google Chrome aberto no YouTube no desktop, e clico no atalho do Chrome na tela de quadrados, o Windows irá abrir uma instância totalmente nova do Chrome, com outras páginas - inclusive, configurações em um não correspondem à configurações em outro, podendo ter favoritos e homepages totalmente diferentes.

Abaixo imagem no modo desktop:


E em seguida, o Chrome aberto no modo dos quadrados:


Na minha opinião, parece que ainda existem muitas coisas para se melhorar no Windows 8, e meu conselho para todos é manter o Windows 7 por enquanto. A interface nova desenvolvida pela Microsoft pode até ser muito boa em smartphones, mas não deveria nunca ter sido trazida para o mundo dos desktops, são conceitos totalmente diferentes.

E por fim, faz sentido o que a Canonical falou. Eu sempre vou tentar apoiar o mundo do código livre. O que conhecemos sobre computadores está mudando muito rápido, inclusive este ano, que todos os sistemas decidiram mudar drasticamente o modo em que são utilizados. No momento, ainda prefiro o Windows 7 sobre o Windows 8, mas ainda assim, prefiro o Gnome-shell sobre o Windows 7.
Postar um comentário